Review: Yak 54 da Great Planes

Nesta área publicaremos reviews (avaliações) de produtos que adquirimos ou forem enviados especialmente para este fim, em conjunto com os reviews do site principal: www.e-voo.com/reviews

Moderador: Alvaro Sala

Avatar do usuário
brunollo
membro
Mensagens: 773
Registrado em: 28 Set 2008 08:36
Localização: Brasília, DF

Review: Yak 54 da Great Planes

Mensagempor brunollo » 10 Dez 2011 13:04

[size=18:fbffbdd6b2]Review/Avaliação Great Planes Electrifly Yak 54 3D[/size:fbffbdd6b2]
[b:fbffbdd6b2]Um excelente all-rounder[/b:fbffbdd6b2]

[img:fbffbdd6b2]http://i118.photobucket.com/albums/o90/brunollo/Aero/Yak%2054/DSC04984.jpg[/img:fbffbdd6b2]
[i:fbffbdd6b2]Um raro Yak 54 aguarda na pista de táxi um experimentado piloto russo para mais uma série de manobras de assombrar[/i:fbffbdd6b2]

De que você gosta? Você gosta de aeromodelos escala, bonitos de ver? Você gosta de acrobáticos bons e fáceis de voar? Vc gosta de 3D, motores potentes e uma quantidade absurda de comandos? O Yak 54 3D da Great Planes é um avião que pode te dar tudo isso. Eu adquiri um Yak 54 há três anos mas enrolei quase dois pra montar e voar ele. Porém, depois de experimentar, fiquei tão impressionado com a qualidade do voo e as características do avião que acabei de adquirir outro (mesmo com o velhinho voando, pra guardar debaixo da cama...) e decidi compartilhar isso com vocês. Vamos conhecer esse avião?

[b:fbffbdd6b2]O que ele é?
[/b:fbffbdd6b2]
É um avião escala-esporte? É sim. O visual clássico dos estúdios Yakovlev está todo lá: o grande cowl redondo dominando a frente, as asas trapezoidais largas, o canopi enorme para um avião e o elegante leme quase triangular estão todos lá. Apesar de não compartilhar perfeitamente as proporções com um Yak 54 de verdade (tem corda de asa e empenagem pouco maiores que no Yak 54 de verdade), o modelo é surpreendentemente bem-proporcionado e agradável aos olhos. Não tem visualmente nenhuma asa grande em excesso, nem fuselagem magra ou grande demais. É bem executado, também. A entelagem é bonita com as cores da bandeira russa (ironicamente, as mesmas dos EUA) e detalhes transparentes que desnudam a estrutura convencional (mas bem executada e leve), o cowl de fibra de vidro é muito bem feito e pintado usando cores metálicas, e o canopi tem painel e espaço para um busto de piloto, pronto para aumentar o realismo do modelo. Alguns senões na execução: o cowl não replica a entrada de ar inferior presente na maioria dos Yaks 54, não tem o famoso regulador de calor em forma de pétala na frente do cowl dos Yaks (o famigerado cowl flap dianteiro dos Yaks) e as polainas de roda são ridiculamente fora de escala, tanto que eu nem montei no meu... de resto, é realmente um avião de visual soberbo.

[img:fbffbdd6b2]http://i118.photobucket.com/albums/o90/brunollo/Aero/Yak%2054/IMG_0980.jpg[/img:fbffbdd6b2]
[i:fbffbdd6b2]Ainda em casa, bem de frente: p**a cara de mau.
[/i:fbffbdd6b2]

É um avião 10e? A Great Planes não assume (chama ele de “large electric”, sei...), mas é. Usa motorização típica de 10e, tem peso de 10e, tem envergadura de 10e, tem preço de 10e (os mais caros, pelo menos).
É um avião acrobático e 3D? Montado devidamente ele tem empuxo e comandos para realizar uma série de manobras 3D. Não consegue executar perfeitamente apenas o parafuso chato de 3D, deixa descer um pouco o bico como o Yak de verdade no parafuso chato. Mesmo assim, entra no parafuso e mantém bonito e constante o movimento. Acrobacias clássicas são tranqüilas de serem realizadas, pois é preciso em vôo. Mas vamos falar disso na parte de vôo...
É prático? Depende. Se você está acostumado a voar aviões maiores, ele é bem prático, pois possui 1m de asa por 95cm de fuseca e pode ser carregado no banco de trás do carro. Mas se você levar em consideração que as asas não são baionetadas e não desmontam, a praticidade vai por água abaixo...
É barato? Depende... A cerca de 500 reais o ARF (às vezes um pouco mais às vezes um pouco menos, ao sabor do dólar...), o Yak 54 é um dos modelos 10e mais caros que se tem no Brasil (nos EUA ele briga de igual para igual com vários outros modelos, está na faixa média de 100 obamas... vale trazer um na mala). Ele chega a empatar de preço com modelos 25e mais simples de outras fábricas. Por outro lado, é um modelo da ótima grife Great Planes, e a eletrônica para montar ele é relativamente barata. A questão que temos que responder, na verdade, é: vale o que custa? Vamos tentar descobrir.

[b:fbffbdd6b2]Montando:[/b:fbffbdd6b2]

[img:fbffbdd6b2]http://i118.photobucket.com/albums/o90/brunollo/Aero/Yak%2054/Yak54005.jpg[/img:fbffbdd6b2]
[i:fbffbdd6b2]Manual completo e comprido...[/i:fbffbdd6b2]

A montagem do Yak 54 é tão simples e o manual é tão completo que, teoricamente, mesmo um modelista inexperiente consegue fazer com calma e atenão ao manual. O avião possui poucas peças: Uma fuselagem, uma tampa para bateria, um cowl, duas pernas de trem de pouso (as minhas vieram já com as rodas montadas), duas asas, duas folhas de profundor, um leme, um estabilizador horizontal e um estabilizador vertical, além do hardware necessário para montagem (links, dobradiças, horns...). 12 peças grandes no total. O manual é superdetalhado, feito para auxiliar o modelista inexperiente em construções em cada etapa. Também cobre detalhes e especificidades da construção (como a atenção ao montar o profundor: existe uma sequência certinha pra montar, primeiro o “U” que une as folhas do profundor, depois o estabilizador, depois as dobradiças e então as folhas do profundor...) Porém, ah, porém, o kit do avião não é perfeito de fábrica. Esse modelo tem três problemas graves para mim num kit desse preço:
1. Não possui bequilha, apenas um tail skid de madeira esquisito. Eu solucionei isso cortando o tail skid e instalando uma bequilha .40 da Du-Bro e uma rodinha de 1,5cm. Simples e rápido.
2. O Cowl não possui uma cobertura interna que simula as pétalas ou um motor radial. Além de deixar ele menos feio, essa cobertura, em aviões elétricos com cowl grande, possibilita que menos ar deslocado pela hélice entre para a fuselagem e perca inércia, e assim mais ar se desloque para empuxo do avião. Eu fiz uma, simulei um motor radial (com um desenho... ficou divertido) e fiz a medição de empuxo do pedreiro (com uma balança de peixe): numa média de 6 puxadas a cobertura sempre rendeu mais aproximados 100g em relação ao cowl aberto. A cobertura ficou, deixando apenas uma pequena área aberta no centro para passar o eixo, refrigerar o motor e a eletrônica.
3. Essa é séria. O conjunto do profundor é feito de balsa e EXTREMAMENTE FINO. Até aí tudo bem, se vc usar algum tipo de esteio. Mas a Great Planes não previu isso e não tem esteio. Resultado? Alguns americanos já fizeram o profundor dobrar em vôo. Eu resolvi isso fazendo um esteio em FC no mesmo estilo dos Yaks de verdade e reforcei os pontos mais críticos do profundor . Ficou charmoso, mais escalinha e bem resistente.

[img:fbffbdd6b2]http://i118.photobucket.com/albums/o90/brunollo/Aero/Yak%2054/IMG_1323.jpg[/img:fbffbdd6b2]
[i:fbffbdd6b2]Profundor com esteios de fibra de carbono e selado: firme como uma rocha. Porque a Great Planes não fez isso de cara? (ao fundo, outro modelo pronto para estreia e um futuro review...)[/i:fbffbdd6b2]

De resto, eu selei todos os vãos das superfícies de comando (essencial pra um bom desempenho acrobático de qualquer avião), aproveitei e reforcei com Epoxi/CA pontos de encontro das madeiras (o avião é feito quase inteiramente de plywood, usa varetas e chapas de balsa apenas pra modelar a entelagem no turtledeck e o bordo de ataque das asas, além das superfícies de comando, incluindo o infeliz profundor) por segurança e passei o ferrinho no avião pra tirar rugas. Diz a Great Planes que o avião é coberto com Monokote, mas a temperatura de encolhimento do filme é bem mais baixa que o Monokote típico. Tem que se tomar cuidado na hora de usar o ferrinho, se não ele chega a vincar. Ele já voou com piloto, sem piloto, e agora ganhou outro pilotinho, bem especial esse.
[img:fbffbdd6b2]http://i118.photobucket.com/albums/o90/brunollo/Aero/Yak%2054/IMG_1306.jpg[/img:fbffbdd6b2]
[i:fbffbdd6b2]Nessa época, voa protegido por São Nicolau. Piloto russo para avião russo.[/i:fbffbdd6b2]

Também vale destacar o hardware: além do uso de fibra de carbono nos links e na longarina das asas, o avião vem com um horn pra usar com a fibra de carbono que é esquisitíssimo, mas virtualmente livre de folgas. Também vêm kits de braços com os mesmos para uso com os links estranhos de fc com montagem para diversos servos (não usei pois preferi usar EZ-Links segurando a FC. Colei a FC nos links bizarros em uma ponta e posso fazer a regulagem na outra ponta). Outra coisa legal é que as dobradiças de mylar são de qualidade inquestionável. As pernas do trem de pouso são de alumínio, mas possuem um ótimo e suave efeito mola (eu comprei um par de pernas opcional de fibra de carbono para o novo. Elas são lindas e curvadas). Pena que as rodas originais destoem do sabor de alta qualidade do resto do modelo. São feiosas e de aparência pobre. Troquei por rodas Dave Brown de 45mm de espuma. Para o novo comprei rodas Du-bro de 45mm, mas de borracha. O avião traz um spinner vermelho muito bonito, mas pesado e veio bem desbalanceado. Em vez de brigar tentando balancear esse spinner, preferi comprar um spinner vermelho de 40mm da Hyperion, muito mais leve, rígido e melhor para balancear (além de pedir menos peso, veio com anéis centralizadores de alumínio).

[img:fbffbdd6b2]http://i118.photobucket.com/albums/o90/brunollo/Aero/Yak%2054/detalhesyak.jpg[/img:fbffbdd6b2]
[i:fbffbdd6b2]Detalhes de um Yak:
1. Vincos no leme. O “monokote” da Great Planes é bem chatinho. Nunca antes isso tinha acontecido comigo.
2. Rodas Dave Brown. Bem mais bonitas e escala
3. Cowl alternativo, feito por mim com vacuform e pistola de calor: menos 19g!
4. Linkagens de FC com os horns bizarros mas livres de folga.[/i:fbffbdd6b2]

[b:fbffbdd6b2]Eletrônica[/b:fbffbdd6b2]
O Yak 54 consegue levar muita coisa ali naquele montante de motor. O meu primeiro veio originalmente com um Rimfire 3530 de 950kv. Além de caro, esse motor muito me decepcionou. Nunca puxou nem potência nem empuxo, mesmo com vários testes de hélices. Talvez estivesse com defeito... caro e ficou encostado, uma pena. (Inclusive, no segundo kit que eu comprei, vem uma nota técnica recomendando o Rimfire 3530 de 950kv apenas para voo acrobático clássico, passando longe de qualquer manobra 3D. Para 3D a própria Great Planes recomendou um motor mais forte...)

[img:fbffbdd6b2]http://i118.photobucket.com/albums/o90/brunollo/Aero/Yak%2054/Yak54002.jpg[/img:fbffbdd6b2]
[i:fbffbdd6b2]Nota técnica da Great Planes. Eles realmente ficaram muito perdidos com esse avião, é um setup leve e que precisa de um motor de pouca rotação e muito torque para girar uma hélice grande. Mas eles recomendam um de mais KV e uma hélice menor! Vai entender... [/i:fbffbdd6b2]

O deixei de lado e montei, no lugar dele, um Turnigy 3530 de 1100KV girando uma hélice 11x47da E-flite. Depois usei uma APC 11x47, com melhores resultados por causa da maior rigidez. O motor entregou um pico de potência de 319w, com 27A. O empuxo estático ultrapassa 1100g nesse avião (sem a cobertura do cowl, ele mal passa de 1000g. Caprichos da aerodinâmica...) Eu montei também um speed Thunderbird de 36A da Castle Creations (desprogramei o corte por baixa tensão) e um BEC Turnigy de 5A. Os servos são quatro HXT900. O novo deve ganhar quatro servos de aproximadamente 10g mas engrenagens de metal/carbonite e mais torque. A bateria é uma Turnigy Nanotech de 1600mAh e 25/50c (mas ele voa sem perda de desempenho com uma Turnigy nanotech de 1300mAh e 25/50c, 20g mais leve). Tenho me impressionado positivamente com o desempenho dessas baterias. O receptor é um velho e bom Spektrum 6100 e o transmissor é o confiável Dx7. Muita gente monta motores maiores e mais pesados nele, mas eu sou do time de que “mais leve é melhor”. Basta escolher bem a eletrônica que vai trabalhar no avião para obter bons resultados. Não preciso de motorização monstro, preciso de motorização suficiente pra fazer 3D sem dor de cabeça e sem pesar demais o avião. Há um mês eu troquei o 3530 por um Turnigy 2836 de 1000kv , que 90g mas consegue entregar incríveis 511w de pico de potência com a mesma hélice. O empuxo na balança de peixe passa de 1500g! Acho que encontrei o motor para ele. Mas eu não descartei a possibilidade de usar um Scorpion de 90/100g e 400w no avião novo, pois o bicho merece.

[img:fbffbdd6b2]http://i118.photobucket.com/albums/o90/brunollo/Aero/Yak%2054/IMG_0986.jpg[/img:fbffbdd6b2]
[i:fbffbdd6b2]Detalhe do cowl, da cobertura com desenho de motor radial e do spinner, bem adiantado como nos Yaks de verdade![/i:fbffbdd6b2]

[img:fbffbdd6b2]http://i118.photobucket.com/albums/o90/brunollo/Aero/Yak%2054/IMG_0983.jpg[/img:fbffbdd6b2]
[i:fbffbdd6b2]De cima, conseguimos ver como ele tem uma área de asa bem generosa[/i:fbffbdd6b2]

[b:fbffbdd6b2]Montagem final, CG e peso pronto pra vôo[/b:fbffbdd6b2]
A montagem final do Yak foi muito simples. Ele não pediu lastro para acertar CG. A bateria de 1600mAh fica bem no centro da bandeja e pode ser movida quase 10cm para frente ou pra trás para acertar o CG. A de 1300 mAh fica coisa de uns 3 cm mais pra frente. Com a bateria de 1600mAh ele ficou com 792g, com a de 1300 ele ficou com 771g. Parece muito pesado para um avião de pouco mais de 1m de envergadura, mas ele possui 23 dm2 de área alar, suficientes para deixar a carga alar em bons 34g/dm2 com os 792g para um acrobático 3D. O CG pode “andar” uma polegada pra frente ou pra trás, para facilitar o vôo em manobras 3D ou o vôo acrobático normal. A diferença é sensível para manobras 3D, mas o ajuste de CG para 3D não afeta as características de vôo nivelado e normal, apenas em estol (sacode um pouco mais as asas em estol). Eu ajustei os comandos segundo o manual no low rate, mas coloquei a maior deflexão fisicamente possível nos high rates.

[img:fbffbdd6b2]http://i118.photobucket.com/albums/o90/brunollo/Aero/Yak%2054/DSC04982.jpg[/img:fbffbdd6b2]
[i:fbffbdd6b2]Alinhado e pronto para decolar![/i:fbffbdd6b2]

[b:fbffbdd6b2]Voando[/b:fbffbdd6b2]
Para mim, essa é a hora de descobrir se um avião vale o trabalho e o preço. Antes, temos que refletir um pouco sobre esse modelo da Great Planes. É um tipo de avião chamado pelos americanos de zero-zero-zero: as asas são simétricas, o profundor é alinhado com as asas, sem incidência, e o motor também está posicionado alinhado com os eixos transversal e longitudinal do avião (mas possui um pouco de right e down thrust). Quando eu decolei em low rates, surpresa: o avião é extremamente dócil, incrivelmente estável para uma aeronave desse porte. Imediatamente bati as chaves para os high rates e fiquei mais surpreso ainda ao observar que as ótimas características de vôo estável e previsível, sem tendências e sustos, se repetiam mesmo com os high rates. O estol é em velocidade baixa, e não há queda de ponta de asa. O avião apenas mergulha e recupera ao ganhar velocidade. As acrobacias saem sem drama: segura obediente no torque roll, quase não pede correção. Mesmo com vento lateral não tende a cair, apenas “caminha” com o vento. Sacode um pouco as asas no hover em atitude normal, mas faz um hover perfeito de dorso. Descer de elevador é ridiculamente fácil. Com o motor cortado, simplesmente cabrar tudo o faz descer sacudindo um pouco as asas. Basta aplicar um pouco de motor até as asas pararem, e a descida se faz lentamente. Nesse ponto, vc imagina que, se aplicar um pouco de leme e compensar mixaria com o aileron, ele faz o parafuso chato. Entra obediente no parafuso, mas infelizmente na manobra desce um pouco o bico. Não fica feio, desce controlado e constante, sem ganhar velocidade, mas não achata perfeito como num shock. A faca sai tranquilamente, os oito deitados saem facilmente também, o vôo de dorso quase não requer compensação e, em low rates, os rolls de quatro tempos são bem retos (é bem difícil e requer muita atenção fazer rolls de quatro tempos com a quantidade de comando que eu coloquei em high rates). O Snap é lindo e parece que prende o avião pela ponta do spinner de tão apertado. Lembra em vôo um fun fly, com aquelas estabilidade e docilidade incrivelmente combinadas com muito comando. Eu voo Yak quase o tempo todo, inclusive no pouso, em high rates. Só para vcs entenderem como ele é dócil e estável.

[img:fbffbdd6b2]http://i118.photobucket.com/albums/o90/brunollo/Aero/Yak%2054/DSC05004.jpg[/img:fbffbdd6b2]
[i:fbffbdd6b2]Yak no pouso. Incrivelmente dócil, pouso depois de pouso ele te deixa feliz e orgulhoso da aproximação suave e do toque perfeito, em três pontos.[/i:fbffbdd6b2]

Ele também se sobressai com ventos fortes. O Yak se comporta como um avião muito maior e mais pesado, tamanha a estabilidade dele em ventos laterais. Sacode, mas firma e não liga tanto para ventos de até 25km/h (medidos no anemômetrozinho da Turnigy). Mas quando ele supera toda expectativa é no pouso. Normalmente acrobáticos 10e são máquinas de bombear adrenalina no pouso, com velocidade de pouso alta, estol de ponta de asa iminente e profundor crítico. O Yak não. Ele se comporta como uma daminha no pouso. A simples aplicação controlada de potência diminui ou aumenta a taxa de descida dele, a ponto de você quase não precisar de futucar com o profundor pra pouso. A hélice 11x47 fica a apenas 3cm do chão, mas ele é tão manso no pouso que ela simplesmente nunca tocou comigo em pouso. O leme responde com autoridade e o avião vem estável, sem cair de ponta de asa, mesmo com ventos laterais, e mesmo caranguejando. Com esse conjunto, é possível fazer vôos inspirados, cheios de manobras e com muita demanda de motor por seis minutos e descer tendo gasto apenas 800-900mAh. É o que normalmente eu gasto num vôo hardcore com ele. Ah! Sobre o motor. O Turnigy 3530 tem potência suficiente para qualquer manobra clássica, mas sofre em algumas manobras 3D que exigem mais empuxo, como o loop de faca. Para isso, o 2836 é insubstituível: com o avião pesando a mesma coisa, mas com muito mais empuxo, vocÊ consegue vir no torque, parar, e sair do torque acelerando enquanto aponta para cima. Os Rolling harriers saem com meio motor. O loop de faca eu ainda não acertei completamente, mas não é por falta de potência no modelo, é mesmo falta de treino do piloto. O Turnigy 3530 sempre desceu frio dos vôos, o 2836 desce um pouco mais morno, mas ainda assim não passa de 34graus. O mais interessante é que, mesmo com toda a potência entregue pelo 2836, o yak voa nivelado com pouco motor e acaba não forçando a eletrônica em voo. Tanto com um quanto com outro motor, eu não gasto mais que 900mAh das baterias em vôos de 6 minutos, mesclando manobras clássicas e 3D.
O que incomodou um pouco em voo (pelo menos nos primeiros voos) é, por incrível que pareça, um dos maiores charmes do modelo: a entelagem transparente. Em rolling harriers mais velozes a chance de confundir parte de cima e de baixo é muita com a entelagem transparente. Com o tempo o piloto acostuma, eu também decidi não fazer detalhes na entelagem para não descaracterizar, mas muita gente coloca faixas brancas nas asas, e diz que ajuda bastante na visualização.

[img:fbffbdd6b2]http://i118.photobucket.com/albums/o90/brunollo/Aero/Yak%2054/DSC04994.jpg[/img:fbffbdd6b2]
[i:fbffbdd6b2]No alto, à distância: a entelagem transparente dificulta um pouco diferenciar o dorso da parte de cima[/i:fbffbdd6b2]

[b:fbffbdd6b2]Modificações[/b:fbffbdd6b2]
O Yak é um avião leve e bem-feito, mas aceita algumas pequenas mods para melhorar ainda mais o seu desempenho. Eu fiz o reforço obrigatório no profundor, usei EZ-links para facilitar a regulagem dos comandos, e moldei em Vacuform um novo cowl. O original era muito pesado (38g), moldei um que, pintado (de forma diferente do original) e adesivado, ficou com 19g. A bateria teve que correr uns 2 cm pra frente pra manter o CG no lugar; nenhum peso foi adicionado, o Yak emagreceu! Também montei outras rodas mais bonitas e comprei as lindas pernas do trem de pouso em fibra de carbono (5g mais leves cada) mas ainda não as instalei. Comprei servos MG, mas os HXT estão se comportando tão bem (desmultiplicados nos links para sofrerem menos esforço) que ainda não instalei. Provavelmente esses servos e o trem de pouso de FC ficarão mesmo para o novo, que está guardado na caixa.

[b:fbffbdd6b2]É para um iniciante?[/b:fbffbdd6b2]
Definitivamente não. È um avião dócil e estável para alguém acostumado com aviões acrobáticos, mas responde rapidamente e com decisão aos comandos e é capaz de manobras muito violentas. Seria um bom avião para quem já domina um fun fly acrobático (como um Handyman ou um Melting da TWM) e quer voar algo bonito e mais parecido com um avião do que com um bagre.

[b:fbffbdd6b2]Conclusão: vale a pena?[/b:fbffbdd6b2]
SIM!!! O Yak 45 da Great Planes tem um projeto completamente voltado para o desempenho em vôo, e ainda assim é muito bonito! Impressionante como um bom projeto de engenharia voltado para a motorização elétrica consegue entregar uma aeronave rígida, obediente, e ainda assim leve. Um avião tão comprometido vale sempre muito a pena. Apesar de o kit ser caro, a eletrônica não precisa necessariamente acompanhar essa cifra, pois é uma eletrônica para 3s de dimensões relativamente comedidas. O importante na escolha de um motor pra ele é pensar em algo com cerca de 80g e que suporte pelo menos 400w de pico. Se quiser mandar bem na qualidade, compre um Scorpion que não terá dor de cabeça, mas esse Turnigy 2836 nunca me deixou na mão com o Yak, e desce frio pra morno depois dos voos. A montagem dele é rápida, limpa, simples e intuitiva. Isso conta muito para alguém como eu, que sou um construtor lento e metódico. Algumas coisas têm que ser corrigidas, como o profundor frágil e a falta de bequilha, mas eu nunca montei um avião que não requeresse pelo menos uma intervenção “off-the-box” ou alguma modificação no projeto. E, pra mim, instalar uma bequilha é muito mais simples que reposicionar servos numa fuselagem. E, além do mais, você só vai montar ele uma vez, e vai voar muitos fins de semana... Sem falar que ele é lindo, não paro de receber elogios para esse avião (tanto de leigos quanto de aeromodelistas experientes)

[b:fbffbdd6b2]Onde comprar?[/b:fbffbdd6b2]
Na Big Field Hobbies, olha o link do Yak aqui embaixo:
http://www.bigfield.com.br/produtos/p.asp?id=30793&produto=Great_Planes_kit_aeromodelo_ARF_YAK_54_3D_EP

[b:fbffbdd6b2]Vídeos[/b:fbffbdd6b2]

Vídeo do primeiro voo (antigo, a qualidade não é tão boa... mas dá pra ouvir a alegria do piloto quando o avião decola e ele descobre que é muito estável!)
[yt]98z3EdfT78s[/yt]

Video de voo num dia de vento (Yak já com as modificações e motor mais forte)
[yt]AMtXfluLaXo[/yt]

Prós:
-Construção caprichada;
-Entelagem bonita;
-Hardware completo e de qualidade;
-Facilidade de montagem;
-Qualidade de vôo excepcional;
-Beleza e visual escala acima da média;
-estabilidade impressionante para um 10e. Parece mais um F3A ou um Fun fly grande em vôo, tamanha a estabilidade;
-Fator “WOW” alto por causa da entelagem transparente;
-Melhor desempenho que um 10e típico, que normalmente oscila entre um Sport acrobático veloz ou um 3D pesado e chato em voo nivelado;
-Pede eletrônica relativamente barata para o nível de desempenho que entrega.

Contras:
-cerca de 150 reais mais caro que um 10e típico, compete com os 10e mais caros e encosta no preço de alguns 25e no Brasil;
-Profundor frágil, precisa de algum tipo de reforço antes de qualquer voo;
-O motor original Rimfire 3530 de 950kv é uma piada de mau gosto. Pode comprar um kit sem motor e encomendar algo mais forte!
-A entelagem transparente é muito bonita, mas dificulta a visibilidade em algumas manobras mais rápidas. Além disso, vinca com facilidade quando aquecida;
-A asa não é desmontável;
-As rodas e as polainas originais são feiosas;
-Não tem bequilha. Como assim?
Vamos melhorar o nível do e-voo: se observar grosseria ou falta de educação, CLIQUE NO BOTÃO DENUNCIAR!!!

Avatar do usuário
Xico Carvalho
membro
Mensagens: 215
Registrado em: 27 Out 2010 19:21
Localização: São José dos Campos, SP

Mensagempor Xico Carvalho » 10 Dez 2011 14:57

Muito bom seu review... Tenho este mesmo modelo!
Ótimo modelo, só não achei a eletrônica perfeita pra ele, vou ver se consigo algo parecido com a sua! Tenho um 2836 1200 parado aqui... Farei os testes.
Você poderia mandar fotos de detalhes da bequilha? e qual bequilha você comprou pra usar no modelo?
Grande abraço,
Xico

Avatar do usuário
Ericksson
membro
Mensagens: 246
Registrado em: 06 Ago 2008 16:57
Localização: Santa Rosa - RS

Mensagempor Ericksson » 10 Dez 2011 15:47

Perfeito review. Eu estava em dúvida quanto a esse modelo, mas acabo de me convencer de que é sim uma ótima opção.

Com certeza já está na lista.

Avatar do usuário
brunollo
membro
Mensagens: 773
Registrado em: 28 Set 2008 08:36
Localização: Brasília, DF

Mensagempor brunollo » 10 Dez 2011 18:16

Xico, a bequilha é uma Du-bro .40 e a roda é uma de espuma e 15x10mm, acho q coloquei no review. Sobre o 2836, tem que ser o de 1000kv. O de 1200 dá giro demais e vc n consegue voar ele bem em 3D. Menos giro e mais torque pra rodar uma hélice bem grande e fazer muito fluxo em cima dos comandos, é o q o Yak pede. Até pq ele n tem velocidade máxima muito alta, voa lento e estável, bom mesmo pra 3D. O 2836 alcança um pico de 511w, mas desce frio, pois o avião usa pouco motor no voo nivelado. Abs! Hj eu n voei ele, preferi estrear outro avião, mas amahã ele voa e eu coloco um video no review!
Ericksson (é assim msm que escreve?) é um ótimo avião. Tanto que eu comprei outro kit e deixei guardado!
Vamos melhorar o nível do e-voo: se observar grosseria ou falta de educação, CLIQUE NO BOTÃO DENUNCIAR!!!

Avatar do usuário
fabiolinares
membro
Mensagens: 140
Registrado em: 02 Jan 2009 11:56
Localização: Taubaté - SP

Mensagempor fabiolinares » 10 Dez 2011 18:33

Também tenho um Yak desse, e concordo com tudo que foi escrito, principalmente da entelagem.
Eu fui um dos que tiveram que colocar um quadriculado embaixo pra diferenciar em vôo.
Recomendo este modelo, voa fácil.
Muito bem feito o Review.
Parabéns

Avatar do usuário
brunollo
membro
Mensagens: 773
Registrado em: 28 Set 2008 08:36
Localização: Brasília, DF

Mensagempor brunollo » 14 Dez 2011 17:25

Videos no primeiro post!

Avatar do usuário
eashiuchi
membro
Mensagens: 1480
Registrado em: 10 Jun 2004 20:51
Localização: Sobradinho-DF

Mensagempor eashiuchi » 15 Dez 2011 14:28

Bruno, aqui você pode colocar o vídeo inserido no post

[yt]AMtXfluLaXo[/yt]
Canal Bit - 49,860Mhz
Spektrum - 2,4 GHz

Avatar do usuário
brunollo
membro
Mensagens: 773
Registrado em: 28 Set 2008 08:36
Localização: Brasília, DF

Mensagempor brunollo » 22 Dez 2011 16:07

Tio Edgar, fiz a correção e inseri os videos. Realmente ficou bem melhor. Galera, espero que tenham gostado do review! Acabou de chegar outra caixa aqui na minha árvore de Natal, com o irmão do Yak...
[img:79bf140fff]http://images.rcuniverse.com/magazine/reviews/1130/thumbs/gpma1547-main.jpg[/img:79bf140fff]
Diz a Great Planes que ele é tão bom de voo como o Yak, mas tem as asas baionetadas. EM breve vamos descobrir. Mas o próximo review só no ano que vem... e ele chegará a jato!

Avatar do usuário
Edgard
Equipe E-voo.com
Mensagens: 8267
Registrado em: 11 Mar 2004 09:48
Localização: São Paulo - SP 55

Mensagempor Edgard » 26 Dez 2011 15:42

Parabéns pelo review e espero o do SU 31


Voltar para “Reviews”

Quem está online

Usuários navegando neste fórum: Nenhum usuário registrado e 2 visitantes