Review: F16 G&C Hobby

Nesta área publicaremos reviews (avaliações) de produtos que adquirimos ou forem enviados especialmente para este fim, em conjunto com os reviews do site principal: www.e-voo.com/reviews

Moderador: Alvaro Sala

Avatar do usuário
brunollo
membro
Mensagens: 773
Registrado em: 28 Set 2008 08:36
Localização: Brasília, DF

Review: F16 G&C Hobby

Mensagempor brunollo » 17 Jan 2012 13:28

[color=#0000FF:80cd284b6d][size=18:80cd284b6d]F16 G&C Hobby[/size:80cd284b6d][/color:80cd284b6d]
[b:80cd284b6d]BBB: Bom, bonito e barato![/b:80cd284b6d]

[img:80cd284b6d]http://i118.photobucket.com/albums/o90/brunollo/Aero/F16%20Fighting%20Falcon/F16rasante.jpg[/img:80cd284b6d]
[i:80cd284b6d]Um veloz F16 encanta o público de uma feira de aviação com um rasante em alta velocidade.[/i:80cd284b6d]

Todo, todo aeromodelista, SEM EXCEÇÃO, tem um sonho: voar um jato. Os jatos militares, presentes nos céus há quase 70 anos, são um fetiche pra qualquer aficcionado por aviação. Com os aeromodelistas não é diferente. Desde o começo do hobby, todo mundo acalenta um sonho bem íntimo de pilotar um “narigudo”, de visual agressivo e alta velocidade. Em quase 50 anos de aeromodelismo radiocontrolado, o sonho pôde se tornar realidade pra poucos afortunados há pouco mais de 20 anos, com os ducted fans e as turbinas de jato a gás. “Poucos” mesmo, pois os primeiros jatos custavam o equivalente a um carro; quase ninguém podia adquirir um desses. Mas nos últimos sete anos, a criação dos motores brushless, speeds eletrônicos e baterias de alto desempenho para o hobby proporcionou o surgimento de um novo e excitante ramo do aeromodelismo: os jatos EDFs, que entregam um desempenho próximo ao dos jatos R/C a combustão por uma fração do preço. Agora, o único limite para um aeromodelista ter um jato é a sua própria habilidade.
E pra que eu escrevi essa introdução enorme? Pra apresentar um modelo que eu tenho há dois anos e que voa comigo quase toda semana: o F16 da G&C Hobby. O F16 não foi minha entrada no mundo das EDFs. Comecei com um lindo e surpreendentemente veloz Jet Illusion da Kyosho. Sou viúvo desse Illusion até hoje (ele quebrou numa decolagem mal-sucedida). Mas o Illusion é caro no Brasil. O F16, ao contrário, entrega beleza e desempenho semelhantes por uma fração do preço. Permitam-me apresentar a vocês o “Falcão Guerreiro”!

[img:80cd284b6d]http://i118.photobucket.com/albums/o90/brunollo/Aero/F16%20Fighting%20Falcon/illusioneF16.jpg[/img:80cd284b6d]
[i:80cd284b6d]O antigo Illusion deixou saudades, mas o F16 foi um bom substituto.[/i:80cd284b6d]

[b:80cd284b6d]O que ele é???[/b:80cd284b6d]
É um jato? Sim, é um EDF, ou “jato elétrico”. Possui um motor brushless de 3950KV e uma hélice dutada de cinco pás e 64mm que permitem a ele, original, velocidades superiores a 130km/h em vôo nivelado (já medi com o doppler mais de 180km/h em mergulho e ele aguenta mais!). O barulho é legal também, parece menos um aspirador de pó e mais uma turbina, dando pra ouvir um “shuoooshhh” nas passagens baixas. Com modificações mais extensas, o voo nivelado a mais de 200km/h é possível, conforme vou contar mais à frente.
É bom de voo? Eu já tive diversos EDFs e posso afirmar com certeza que esse é um dos melhores EDFs pequenos pra se voar. Ele é veloz e bem ágil, e com poucas modificações e acertos se torna um avião de envelope bem amplo, com pouso em velocidade relativamente baixa e velocidade máxima alta, suficiente pra injetar muita adrenalina num rasante com o motor cheio!
É prático? Sim! Ele tem 85cm de comprimento e 60cm de asa. Vai montadinho no banco do passageiro, é jogar no carro e ir voar!
É RTF(Ready-to-fly)? Sim, pero no mucho. Vou detalhar mais na seção de montagem. Mas avião RTF MESMO pra mim até hoje só vi os Miniums, que saem da caixa prontos MESMO pra voo.
É barato? Sim. Está disponível completo para comprar pela conhecida Hobbyking (procurei, mas não achei à venda no Brasil - se alguém achar em avise!). No kit vêm todos os servos, EDF, motor de 3950kv, speed e extensões. Tudo de boa qualidade (em dois anos de vôo nenhuma peça me deixou na mão). O custo do kit pra mim, que tive que pagar imposto, foi de 450 reais (dá pra ficar mais barato se você for muito sortudo e não pagar imposto – aconteceu com um amigo meu, que pagou menos de 300 Dilmas). Obviamente não somei aí o receptor AR6110 nem as baterias, que no meu jato são Turnigy Nanotech de 1600mAh 25/50c.

[img:80cd284b6d]http://i118.photobucket.com/albums/o90/brunollo/Aero/F16%20Fighting%20Falcon/F16detalhesdequalidade.jpg[/img:80cd284b6d]
[i:80cd284b6d]Detalhes de qualidade:
1. Motor de 3950kv com o nome G&C impresso.
2. Speed de 30A (tb com o nome G&C) fica no duto da EDF protegido por uma grade. Recebe fluxo de ar, se mantém frio e não atrapalha o fluxo do duto.
3. Canaletas para os cabos dos servos. Simples e funcional.
4.Servos e linkagens de ótimo padrão. O material e o acabamento das linkagens não devem nada aos Du-bro. [/i:80cd284b6d]

É escala? Sim, muito escala. Ele realmente se parece em voo com um F16 de verdade, é muito bonito de ver voando. A meu ver, ele tem apenas três detalhes não escala:
1. A boca de admissão é ligeiramente mais “reta” que a original. Não é perfeita, mas pelo menos é proporcional e muito mais escala que a maioria das bocarras que os F16 EDF apresentam. Pra mim, que sou chato, a diferença aparece no chão olhando de perto, mas é imperceptível em voo.
2. Não possui as aletas inferiores do F16. É um belly lander, não tem jeito de ter, essas aletas seriam arrancadas e destruiriam o avião no primeiro pouso.
3. O F16 original possui bastante anedro nas folhas do profundor, o desse é quase imperceptível.

[img:80cd284b6d]http://i118.photobucket.com/albums/o90/brunollo/Aero/F16%20Fighting%20Falcon/f161e.jpg[/img:80cd284b6d]
[i:80cd284b6d]Na caixa de campo, dá pra ver que ele é muito bonito![/i:80cd284b6d]

[b:80cd284b6d]Montando:[/b:80cd284b6d]
O F16 é, em tese, um RTF (pra mim, RTF de verdade sai prontinho da caixa. Só Miniums e alguns microhelis são RTF DE VERDADE. Resquícios do tempo dos carrinhos, em que RTR -ready-to-run - significa que você só tem que abastecer, jogar o carro na pista e correr). Ele vem quase pronto, você só tem que montar as duas asas, os profundores, o leme ( que é apenas um estabilizador – o F16 não tem comando de leme) e o bico. Bico que, aliás, é superfino, frágil e não tem pra reposição. Eu, antes de montar e já sabendo disso, decidi encher o bico de gesso e tirar um molde, só pra garantir. Já tive que puxar uns bicos na vacuform pra ele, ele está no segundo bico sobressalente. As ótimas dobradiças no estilo pin hinges, os servos, as extensões de servos, a EDF, o motor, o speed, os links, até os decalques (que foram colados tortos e com bolhas) tudo veio montado.

[img:80cd284b6d]http://i118.photobucket.com/albums/o90/brunollo/Aero/F16%20Fighting%20Falcon/F16detalhes1.jpg[/img:80cd284b6d]
[i:80cd284b6d]1. Asas, profundores, leme e bico colados com epoxi.
2. Misseis feiosos na foto de divulgação. Eu não montei os meus.
3.O duto da EDF sai completamente para manutenção.
4. Dobradiças no estilo pin hinges.[/i:80cd284b6d]

Como eu não tive o trabalho habitual de um ARF, decidi me esmerar no que me sobrou: lixar a tinta cinza para melhorar o contato e colar com epoxi as asas, os profundores, o leme e o bico. Lixei com cuidado a tinta e montei tudo. Não usei a cola que veio no kit (alguns americanos usaram e disseram que é péssima), usei a epóxi de 15 minutos da Great Planes. Colei um velcro extra na baia de bateria pra ajudar na fixação dela (não confiei na cinta de velcro original). Depois, instalei o receptor Spektrum AR6110. Só. Acabou. Se eu levei 30 minutos no processo de montagem foi muito (e eu sou um construtor lento). Sobre os servos, uma observação relacionada ao projeto: um dos servos do profundor é invertido. Se você precisar substituir um, terá que substituir os dois por um par de servos de mesmo modelo e equipar um deles com inversor de sinal, o que acarreta um gasto maior. Pelo menos os servos são bons. O manual, ridículo de pequeno,foi lido só para desencargo de consciência. É completamente dispensável e cheio de erros, com aquele inglês patético escrito por chineses. Inclusive o CG que vem marcado nele está errado. No total, cinco F16 G&C voam no nosso Clube. Os cinco usam o CG indicado aqui, não o que vem no manual. Em nenhum dos F16 em que o CG do manual foi testado, funcionou.

[img:80cd284b6d]http://i118.photobucket.com/albums/o90/brunollo/Aero/F16%20Fighting%20Falcon/F16manualeCG.jpg[/img:80cd284b6d]
[i:80cd284b6d]O manual é praticamente inútil. O CG correto é a 55mm da junção do bordo de ataque da asa com a fuselagem.[/i:80cd284b6d]

Ah, é! Ele também vem com uns misseizinhos feios pra burro, e que só servem pra agarrar em algum lugar no pouso, dar uma estrelinha com o avião e terminar quebrando, e às vezes quebrando o avião também. Eu não colei os meus.

[b:80cd284b6d]Ajustes finais:[/b:80cd284b6d]

[img:80cd284b6d]http://i118.photobucket.com/albums/o90/brunollo/Aero/F16%20Fighting%20Falcon/f162.jpg[/img:80cd284b6d]
[i:80cd284b6d]Pronto para sua primeira missão![/i:80cd284b6d]

Meu F16 não foi o primeiro G&C da galera, foi o segundo. Um amigo já tinha esse avião, e eu já sabia de antemão os macetes dele, o CG diferente do manual, o que fazer para obter um bom desempenho, o bico frágil, etc. Depois de montado, eu decidi fazer alguns ajustes nele:
1. Diz o manual que o F16 voa com uma bateria de 1300mAh. Só se for uma MUITO PESADA pra dar CG.O F16 possui duas paredes internas na baia da bateria e eu tive que retirar as duas para adiantar ao máximo uma bateria de 1600mAh e acertar o CG sem usar peso.
2. O primeiro F16, descobrimos em voo, com a linkagem em posição original era extremamente arisco e crítico de roll. Eu posicionei os links dos ailerons para a menor deflexão mecânica possível. Assim consegui um comportamento menos arisco no aileron e mantive resolução nos servos.
3. O F16 é um pouco crítico no lançamento. Ele rola muito para a esquerda, por causa do torque da turbina. Um dia, vendo o lançamento do avião do meu amigo e o perrengue que ele passava, decidi instalar um giro HK tipo 401 (olha ele aqui: http://www.hobbyking.com/hobbyking/store/__10113__Hobby_King_401B_AVCS_Digital_Head_Lock_Gyro_.html ) no canal de aileron do meu para facilitar o lançamento e a decolagem. A mudança foi fenomenal, para muito melhor,e o giro se tornou equipamento padrão em todos os F16 da turma. Mas sobre isso vou comentar na parte de voo...
4. O avião é feito de isopor sem cobertura, apenas pintura. Eu protegi a barriga e a admissão dele com fita transparente para não estragar nos pousos.
5. A EDF, como é chinesa e feita aos baldes, deve ser testada e, se necessário, balanceada. Eu acelerei a minha com cuidado para ver se as pás não raspavam em algum ponto do duto. Não raspavam, mas pediram um leve balanceamento para acelerar a fundo sem vibração.
6. O bico plástico é fino e frágil,qualquer toque duro no chão quebra ele. O bico que está atualmente nele, o terceiro, foi revestido internamente com fita filamentosa. Acredito que tenha ajudado um pouco. O primeiro bico virou uma sanfona num pouso ruim. Em compensação a “sanfoninha” protegeu o resto da fuselagem, que ficou inteira (será que é proposital?). O segundo bico foi rachando, rachando em pousos em que encostava em alguma coisa até eu decidir trocar pelo que está lá agora, reforçado por dentro.

[img:80cd284b6d]http://i118.photobucket.com/albums/o90/brunollo/Aero/F16%20Fighting%20Falcon/F16detalhes2.jpg[/img:80cd284b6d]
[i:80cd284b6d]1. Bicos sobressalentes: um no avião e outro reserva. O molde está guardado dentro do segundo bico, pra eventualidades. O original foi pras cucuias há muito tempo!
2. Baia de eletrônicos sem as duas paredes (em vermelho) e cinta de velcro para fixar a bateria.
3. Links dos comandos com o curso reduzido mecanicamente, para manter resolução nos servos.
4. Receptor Spektrum AR6110 e Giro HK 401B instalados (em vermelho). [/i:80cd284b6d]

No final das contas, o meu F16 ficou com 453g, entrega 263w de pico de potência e tem 405g de pico de empuxo estático. Como é um EDF, o empuxo dinâmico pode igualar e até superar o estático, graças ao fluxo de ar no duto em voo.

[b:80cd284b6d]Voando[/b:80cd284b6d]

[img:80cd284b6d]http://i118.photobucket.com/albums/o90/brunollo/Aero/F16%20Fighting%20Falcon/F16angulos.jpg[/img:80cd284b6d]
[i:80cd284b6d]No ar: lindo de se ver.[/i:80cd284b6d]

O F16 é um EDF bem balanceado, que voa veloz e reto e te dá controle para fazer aquilo que os jatos foram feitos pra fazer: passagens rasantes com motor cheio, para bombear adrenalina na corrente sanguínea. Mas ele também te oferece controle e empuxo para subir num bom ângulo e até realizar loopings. As curvas saem com facilidade e, se ele estiver embalado, faz aquelas fantásticas curvas de caça bem apertadas e velozes. Ele tambem, mesmo com pouco comando de aileron, faz um roll veloz como uma furadeira. Cada voo do meu F16 dura 4m30s, e a bateria de 1600mAh gasta pelo menos 1200mAh em cada voo (no fim do voo ela está com 3,7v por célula). No último minuto eu voo com menos motor para evitar uma queda brusca de tensão a menos de 3v e os consequentes danos às células da bateria. Sobre o voo, há um importante ponto a se considerar: como o F16 original é um avião inerentemente instável e com voo nivelado regulado por computador, o G&C replica um pouco dessa instabilidade em situações limite, como em curvas a velocidades mais baixas e ventos laterais. Um giro instalado no canal do aileron, com delay zerado e no modo reativo (sem trava-cauda) corrige completamente esses vícios. O avião equipado com o giro permite voos com bem menos aplicação de motor (dá pra voar nivelado com pouco mais de meio motor num JATO com o giro! Só é necessário acelerar nas curvas. Sensacional!) e ao mesmo tempo a aplicação de potência total é muito menos tensa, pois o giro corrige a rolagem por torque e as passagens baixas são muito mais retas e controladas. É um investimento que vale a pena.

[img:80cd284b6d]http://i118.photobucket.com/albums/o90/brunollo/Aero/F16%20Fighting%20Falcon/F16mergulho.jpg[/img:80cd284b6d]
[i:80cd284b6d]F16 mergulhando com motor cheio para um rasante: controle absoluto. [/i:80cd284b6d]

A decolagem com o giro é mais simples também. Eu, além de instalar o giro, chaveei três posições de neutro no profundor no comando de flap do DX7. Uma pra voo nivelado, uma ligeiramente picada para rasantes de motor cheio e uma ligeiramente cabrada para decolagens e pousos. A decolagem realmente se tornou algo simples (para um jato) com o giro e a aplicação do profundor cabrado. O avião flutua mais e de forma controlada até pegar velocidade e conseguir ganhar altitude. De qualquer maneira, sempre que posso peço a algum amigo experiente que lance ele pra mim, enquanto eu fico atento e com as duas mãos no controle (no vídeo a seguir isso acontece. Melhor isso que perder ele num lançamento mal-sucedido, como o aconteceu com o Illusion...) No pouso, a aplicação de alguns graus “cabrados” associados à correção do giro faz com que ele desça, também, muito controlado e toque de forma menos violenta no solo. É importante observar que, como qualquer EDF, ele vem muito veloz para pouso e precisa de uma rampa de aproximação bem suave e um espaço livre para desaceleração e toque de no mínimo 50m (se você realmente souber o que está fazendo. Na dúvida, vá a algum lugar mais amplo.)

[img:80cd284b6d]http://i118.photobucket.com/albums/o90/brunollo/Aero/F16%20Fighting%20Falcon/F16aproxprapouso.jpg[/img:80cd284b6d]
[i:80cd284b6d]Aproximação para pouso. Muito tranquilo para pouso com o giro.[/i:80cd284b6d]

Sobre o desempenho da EDF. Aviões EDF são máquinas que só voam bem se levarmos em consideração a manutenção da inércia deles. O F16 entrega, com uma bateria cheia, 263w e 405g de empuxo estático, menos que o peso do avião. Isso faz com que o piloto tenha que manobrar sempre levando em consideração a manutenção de uma velocidade de voo alta. Mas o F16 pelo menos tem uma relação boa de empuxo/peso, superior a 80%. Alguns jatos conseguem pouco mais de 50%. De qualquer forma, ele tem empuxo suficiente até para realizar um looping e sair na mesma altura. O mais legal é que ele dá uma “assentada” no fim do looping, igualzinho a um jato de verdade.
Sobre a cor cinza fosca. O “Superiority Gray” presente nesse F16 dá um visual bem legal e até sinistro ao avião, mas dificulta enxergá-lo em voo, especialmente num dia nublado. Voar um avião cinza, fosco, veloz e pequeno contra nuvens escuras é um convite a perder a referência do bicho. Evite voar nessas condições.

[img:80cd284b6d]http://i118.photobucket.com/albums/o90/brunollo/Aero/F16%20Fighting%20Falcon/F16contraasnuvens.jpg[/img:80cd284b6d]
[i:80cd284b6d]O cinza fosco às vezes é difícil de ver no ar. Até a câmera sofre para fazer foco.[/i:80cd284b6d]

[b:80cd284b6d]Video[/b:80cd284b6d]

[yt]TC2XEfo9nQo[/yt]

Video de um vôo do F16. Dá pra ver como ele é estável, veloz e possui uma boa capacidade acrobática para um EDF pequeno e sem leme. Ele consegue fazer até loopings! Também é possível observar a decolagem e o pouso tranqüilos. Video filmado pelo amigo Edgar (eashiuchi) e com a participação especial do F18 Blue Angel do amigo Marcial!

[b:80cd284b6d]Belly Lander[/b:80cd284b6d]
Uma coisa que acontece quase toda vez que vou voar um jatinho pequeno é algum curió perguntar se eu “não vou botar trem de pouso nele” ou “se não tem jeito de botar umas rodinhas”. Não tem jeito, o avião ganha peso e perde performance por causa do arrasto das canelas. Ele decola lançado e pousa na grama, porque é tão difícil entender? Tem vezes que eu tou numa boa e explico com calma, mas tem vezes que eu tou com menos paciência e a resposta que sai é algo parecido com um latido, hehehe... Então eu criei uma lista de respostas e vou colocá-la ao lado do F16:
1. Sim, sou um F16.
2. Sim, sou feito de isopor.
3. Não, não sou movido a combustível.
4. Sim, sou elétrico.
5. Sim, sou leve. Faz parte de ser elétrico.
6. Sim, sou lindo. Também faz parte de ser elétrico.
7. Sim, sou veloz e ágil. Bem mais do que você imagina.
8. Não, não tenho trem de pouso. Decolo da mão e pouso na grama.
9. Não, não quero “botar umas rodinhas”! Prefiro correr mais.
10. Não, meu dono não vai deixar você me pilotar.
Acho que funciona, não?

[b:80cd284b6d]Modificações[/b:80cd284b6d]
O primeiro F16 da turma foi usado como “mula” para vários equipamentos, de câmeras a turbinas diferentes e baterias enormes. O avião se comportou muito bem, às vezes voando 200g mais pesado que o original. O uso de turbinas mais potentes resultou sempre em desempenho superior. Dependendo da turbina escolhida, ele ganhou muito mais velocidade final ou mais empuxo em todo o envelope, inclusive tornando a decolagem mais tranquila. Esse avião se presta muito bem à tarefa de “mula”! A porção inferior do duto é presa apenas com imãs e desmonta quase inteira, tornando qualquer manutenção ou modificação na turbina muito fácil. De resto, as modificações mais recomendadas são o uso do giro, o reforço do frágil bico com fita filamentosa e o revestimento da admissão e barriga com fita transparente para evitar arranhar demais a barriga dele nos pousos.

[b:80cd284b6d]É para um iniciante?[/b:80cd284b6d]
NÃO MAIÚSCULO!!! É um avião muito rápido e ágil, que exige atenção completa e constante, e que responde de forma violenta em algumas situações. É um avião recomendado para pilotos que consigam dominar completamente acrobáticos velozes e saibam reagir de forma rápida, fria e precisa em situações limite. Se você é um piloto experiente, ele será um bom primeiro EDF. Com certeza ele vai te trazer muita alegria em alta velocidade!

[b:80cd284b6d]Conclusão[/b:80cd284b6d]
Se você quer um jato bonito e divertido, mas não quer investir muito dinheiro nem se preocupar com tamanho grande, esse F16 é uma excelente opção! Ele vem completo, pede apenas receptor e bateria (Vem até com um daqueles carregadores de caixinha que só servem mesmo pra carregar bateria devagar). Não é o EDF mais veloz que existe, mas ele possui um bom envelope e voa muito bem, especialmente equipado com giro. BBB: bom, bonito e barato MESMO! Eu compraria de novo!

[b:80cd284b6d]Onde comprar?[/b:80cd284b6d]
O F16 G&C é vendido pelo site Hobbyking.
http://www.hobbyking.com/hobbyking/store/__9994__Mini_Fighter_Jet_w_Brushless_ducted_fan_Plug_Fly.html
Não achei uma loja no Brasil que o venda, mas se alguém souber, pode me falar que eu coloco o endereço aqui!

[b:80cd284b6d]Prós:[/b:80cd284b6d]
-Lindo em vôo, também não desaponta no chão.
-Tem um bom desempenho em voo com o equipamento original, sendo rápido e tendo um bom empuxo (para um EDF) sem ser pesado demais.
-A eletrônica original dele é de qualidade: motor bom, speed excelente, EDF boa, servos bons. Nele TUDO vem marcado G&C Hobby, mas eu acredito (até pelo formato e visual) que seja tudo Turnigy. O meu voa há dois anos completamente original sem dar um glitch!
-O hardware também é de qualidade. As dobradiças são bem-feitas, o canopi e o duto são presos por imãs fortes.
-O duto facilmente desmontável auxilia na limpeza e manutenção.
-É leve, pequeno é prático: o meu normalmente vai no banco do passageiro, preso com cinto de segurança...
-Vem quase pronto: basta colar as superfícies de voo e ligar o receptor. É mais RTF que muito kit RTF por aí!
-Com o giro ele fica melhor ainda.
-Se você for um aeromodelista exibido, vai ficar todo orgulhoso dele, pois o bichinho chama muito a atenção.

[b:80cd284b6d]Contras:[/b:80cd284b6d]
-Manual ridículo e mal-escrito. Ainda bem que é completamente dispensável.
-CG indicado pelo manual está errado e muito atrasado. SIGA O CG DESSE REVIEW, NÃO O DO MANUAL!
-O bico é muito frágil e não tem pra reposição. Faça cópias do bico pra você antes de voar, pois com certeza ele vai acabar virando uma sanfona.
-Decalques vieram mal-colados e com bolhas no meu.
-Um dos servos do profundor é invertido. Se um quebrar, você tem que substituir o par e instalar um inversor de servo, um gasto maior.
-Misseizinhos feiosos que quebram à toa. Melhor não colar.
-Essa é séria. Como ele vem com o cinza padrão dos F16, é pequeno e veloz, fica muito difícil voá-lo contra nuvens, vc tem que ficar MUITO atento para não perder a referência da atitude dele.
-Como ele é pequeno e bonito, o “índice de pegação” dele é alto: todo mundo quer “ver com a mão”. Se você for um aeromodelista ciumento vai ficar chateado com todo mundo botando a mão na sua “joinha”!


[b:80cd284b6d]Texto, diagramação e pilotagem:[/b:80cd284b6d] Bruno Cardenas Angrisano
[b:80cd284b6d]Fotos e video:[/b:80cd284b6d] Edgar Ashiuchi
Vamos melhorar o nível do e-voo: se observar grosseria ou falta de educação, CLIQUE NO BOTÃO DENUNCIAR!!!

Voltar para “Reviews”

Quem está online

Usuários navegando neste fórum: Nenhum usuário registrado e 1 visitante