Piper em depron com sobrepesso (preciso de ajuda)

Qual o motor certo para qual modelo, qual hélice para tal redução, quantas voltas de fio em tal brushless.

Moderadores: Alvaro Sala, benites

cesaritap
membro
Mensagens: 23
Registrado em: 18 Fev 2013 11:36
Localização: Quedas do Iguaçu PR

Piper em depron com sobrepesso (preciso de ajuda)

Mensagempor cesaritap » 25 Jun 2013 08:29

Pessoal, finalizei a construção do meu Piper em depron com 1,2 metros de envergadura, acabei abusando nos reforços da estrutura e nos acabamentos, resustado o peso final ficou acima do esperado, preciso de uma opinião sobre o que fazer agora, se tendo reduzir o peso (bem difícil)? se aumento o motor e qual motor seria? se tento voar com ele assim mesmo? seguem os dados do Piper:

Envergadura: 120cm
Corda: 24cm
Área alar: 28,8 dm2
Peso final: 880g
Carga alar: 30,5 g/dm2
Motor: Emax 2822
Bateria: 1300 mA
Esc: 25A
Hélice: 8 x 3,8 ou 9 x 5

O peso final estimado éra de no máximo 650 gramas, mas acabei me empolgando na estrutura e nos acabamentos, acredito que tenha sido a entelagem da Imprimax (colormax), mas agora já éra.
Preciso de uma opinião se posso ariscar uma decolagem ou o desastre será certeiro.
Vou tratar as fotos da construção e postar aqui, desde já agradeço as colaborações.
Aeromodelista é quem projeta e constói seu próprio avião, e entende os principios da física que o faz voar

Avatar do usuário
hermesed
membro
Mensagens: 508
Registrado em: 31 Mai 2007 08:12
Localização: São Paulo/SP - Zona Sul

Mensagempor hermesed » 25 Jun 2013 08:31

E ficou com que peso, no final?

Avatar do usuário
alexcmag
Equipe E-voo.com
Mensagens: 14817
Registrado em: 13 Fev 2004 12:13
Localização: Sao Paulo SP
Contato:

Mensagempor alexcmag » 25 Jun 2013 08:34

Se depender só do peso provavelmente vai voar sim, será mais crítico do que seria com menos peso e não vai sobrar muito motor mas dá conta.

O ideal é tentar uns 600g na próxima.

Avatar do usuário
Paulo Mormello
membro
Mensagens: 611
Registrado em: 14 Out 2009 10:12
Localização: Curitiba/Pr

Mensagempor Paulo Mormello » 25 Jun 2013 08:35

Ficou com 880g?.

Desencana e vai voar.... esse peso está até baixo para um aero de 1.20m

Aeromodelo não precisa, e nem deve ser uma pena de leve.

Avatar do usuário
Gilberto
membro
Mensagens: 3048
Registrado em: 24 Abr 2008 00:38
Localização: São Paulo, SP - 65 anos
Contato:

Mensagempor Gilberto » 25 Jun 2013 08:35

Use uma hélice 9X5.
Em princípio pode voar assim mesmo, se tudo estiver alinhadinho, o perfil bem feito e o CG certo, ele decola e voa sem grandes pretensões de manobras. Evite ventos fortes.

cesaritap
membro
Mensagens: 23
Registrado em: 18 Fev 2013 11:36
Localização: Quedas do Iguaçu PR

Mensagempor cesaritap » 25 Jun 2013 08:50

O peso final é 880 gramas, pensei em colocar um motor mais forte sem sacrificar muito a bateria teria uma indicação?

Avatar do usuário
Vitor-Meireles
membro
Mensagens: 585
Registrado em: 19 Nov 2011 16:11
Localização: Ouro Branco - MG

Mensagempor Vitor-Meireles » 25 Jun 2013 09:03

Emax 2215/20 com 9x6 já da conta do recaddo... mas pra durar mais entraria uma lipo de 1800 á 2200, com a de 1300 tmbm deve dar uns bons minutos de voo..

cesaritap
membro
Mensagens: 23
Registrado em: 18 Fev 2013 11:36
Localização: Quedas do Iguaçu PR

Mensagempor cesaritap » 25 Jun 2013 09:11

sabe me diser qual seria o empuxo do Emax 2215 com a hélice 9x6?

Avatar do usuário
LaercioLMB
membro
Mensagens: 13377
Registrado em: 16 Abr 2009 20:40
Localização: Porto Alegre - RS- 47

Mensagempor LaercioLMB » 25 Jun 2013 09:49

Esse aeromodelo abaixo tem 1200 mm de envergadura, pesa 1125g e voa muito bem obrigado, inclusive em dias de vento.
Aeromodelo elétrico tem que ser leve? Mito dos mais estapafúrdios que existe.
Todo o peso que se retira de um aeromodelo glow para torná-lo elétrico, pode ser recolocado no peso da bateria, que aumenta a autonomia de voo do aeromodelo.
Esse meu aeromodelo eu decolo com meio motor e não preciso acelerar tudo se não desejar, voo lento, dócil e estável.
O aeromodelo já caiu e não quebrou, ao contrário que muitos dizem de que se for maior o peso, maior será o estrago na queda e o principal, aeromodelo foi feito para voar e não para cair.
Se o seu Piper J3 tem 1200 mm de envergadura e pesa míseros 880g, não se preocupe com isso, bora voar e seja feliz.
Quanto a hélice, use a 9X5, nem pense em usar a 8X3.8 que não irá render tão bem quanto deveria.
Anexos
S6300861.JPG
S6300861.JPG (33.39 KiB) Exibido 3433 vezes
Se você criticar um sábio, ele te agradecerá. Se você criticar um ignorante, ele te insultará.

cesaritap
membro
Mensagens: 23
Registrado em: 18 Fev 2013 11:36
Localização: Quedas do Iguaçu PR

Mensagempor cesaritap » 25 Jun 2013 11:43

Minha maior dúvida esta na carga alar um pouco alta e o motor com empuxo abaixo do peso do aéro. Qual motor vc utilizou no modelo acima Laercio?

Avatar do usuário
alexcmag
Equipe E-voo.com
Mensagens: 14817
Registrado em: 13 Fev 2004 12:13
Localização: Sao Paulo SP
Contato:

Mensagempor alexcmag » 25 Jun 2013 11:56

O empuxo não tem que ficar acima do peso do aero, isto é a maior bobeira.

O importante é:
Relação peso/potência acima de 150W/kg para voo básico, OK no seu caso com hélice 9x5
Pitch-speed pelo menos 50% acima da velocidade de stall, OK no seu caso com hélice 9x5
Empuxo de pelo menos 50% do peso do modelo, OK no seu caso com hélice 9x5

Um dos meus primeiros aeros era um J3 de 1,2m de envergadura com 320g de empuxo e 620g de peso ARF, e voava bem, mas meio no limite, tinha que acelerar e esperar levantar a cauda, para depois ganhar mais velocidade, para sair do chão.

man1aco
membro
Mensagens: 592
Registrado em: 06 Out 2012 13:19
Localização: São José do Rio Preto - SP

Mensagempor man1aco » 25 Jun 2013 15:51

O meu Piper com mesma carga alar estou usando uma helice 8x5 TGS sport e ficou maravilhoso , tem motor de sobra.

A 9x5 vai sobrar empuxo, desnecessario já que não vai fazer tork com esse motor ai, uma 8x6 APC deixa ele um foguete.

O meu com a 8x6 decolava sozinho sem dar comando, por isso passei para a 8x5 pra correr mais na pista e decolar com calma.

Desencana com carga alar, estou voando um T-6 Texan com carga alar de 34g/dm² e nunca fui tão feliz, até os pousos parecem mais faceis nele hoje do que nos meus asa alta.

Avatar do usuário
LaercioLMB
membro
Mensagens: 13377
Registrado em: 16 Abr 2009 20:40
Localização: Porto Alegre - RS- 47

Mensagempor LaercioLMB » 25 Jun 2013 20:52

[quote:bcaf13bc1c="cesaritap"]Minha maior dúvida esta na carga alar um pouco alta e o motor com empuxo abaixo do peso do aéro. Qual motor vc utilizou no modelo acima Laercio?[/quote:bcaf13bc1c]

Sua maior dúvida sobre carga alar, está sendo por causa das informações erradas que tem aprendido de pessoas que não sabem o que falam e dizem que o empuxo do motor é importante.
Mas para que serve o empuxo do motor então?
Na maioria dos modelos, incluindo o seu, o empuxo do motor tem que ser maior somente do que o arrasto que o aeromodelo tem.
Um exemplo é que o aeromodelo para poder voar, tem que vencer a resistência do ar e é aí que entra o empuxo do motor.
Um bom exemplo prático de arrasto, quando estiver andando de carro ou de ônibus mesmo, quando o veículo estiver em movimento, coloque a mão para fora da janela, de modo que a palma da mão aberta, fique voltada na direção em que o veículo esteja andando, verá que o vento força a sua mão para trás. Logo a seguir, deite a mão de forma que a mão fique de lado no sentido em que o veículo anda, verá que o ar quase não empurra a mão e isso é o arrasto que a sua mão tem para vencer a resistência do ar, mão espalmada, maior arrasto, mão deitada, menor arrasto.
Com os aviões é a mesma coisa, eles tem um arrasto segurando eles quando se deslocam e o motor só tem que ter mais empuxo do que o arrasto que segura o aeromodelo.
Não adianta querer compensar arrasto com motor mais potente, ajuda, mas não é eficaz, pois quanto maior for a velocidade, maior será o arrasto.
é por isso que carros que atingem grandes velocidades, necessitam de motores mais potentes, pois o arrasto aumenta muito com velocidades mais altas.
Esse meu modelo da foto acima, voaria perfeitamente bem com um motor E-MAX 2215/20, mas como ele tem um nariz chato e muito grande, devido a originalidade do avião na qual ele foi baseado para ser construído e como a hélice é uma de 12 polegadas, a escolha do motor não foi em relação a empuxo e sim um motor que tocasse uma hélice de 12 polegadas sem queimar.
Mas por que uma hélice tão grande então?
Sou escalista e a hélice na escala original, teria que ser uma de 11,8 polegadas, então eu arredondei para 12 polegadas e como o nariz dele é muito grande, uma hélice de 9 polegadas ficaria praticamente escondida na frente do nariz e isso faria o desempenho da hélice cair muito, já que logo atrás da hélice, teria uma parede impedindo o deslocamento correto do ar.
Se você criticar um sábio, ele te agradecerá. Se você criticar um ignorante, ele te insultará.

Avatar do usuário
Alvaro Sala
Equipe E-voo.com
Mensagens: 4462
Registrado em: 06 Jul 2006 21:35
Localização: São Paulo - SP
Contato:

Mensagempor Alvaro Sala » 25 Jun 2013 21:30

Esse vídeo é do meu modelinho COPÉRNICO.
5O Cm de envergadura eletrônica de X-Twin.
O empuxo estático do par de motores do X-Twin é de 10g e o modelo voa pesando 30g. Não tem leme nem profundor, todo trabalho é feito apenas controlando o empuxo dos motores.
Obviamente com uma configuração dessas só dá pra voar indoor.


[yt]Ogi8J4K76Ls[/yt]

cesaritap
membro
Mensagens: 23
Registrado em: 18 Fev 2013 11:36
Localização: Quedas do Iguaçu PR

Mensagempor cesaritap » 26 Jun 2013 13:15

Pessoal obrigado pelas dicas, sabado inauguro o bichinho, assim que tiver tempo vou postar neste tópico as fotos da construção dele para que vcs possam opinar...valeu

cesaritap
membro
Mensagens: 23
Registrado em: 18 Fev 2013 11:36
Localização: Quedas do Iguaçu PR

Mensagempor cesaritap » 26 Jun 2013 15:15

Pessoal seguem algumas fotos do meu Piper descrito no início do tópico, vou colocar mais fotos da contrução dele, aguardo comentários...valeu
Anexos
2013-06-23 17.55.09.jpg
2013-06-23 17.55.09.jpg (33.95 KiB) Exibido 3156 vezes
2013-06-23 17.58.44.jpg
2013-06-23 17.58.44.jpg (35.84 KiB) Exibido 3156 vezes
2013-06-23 17.56.08.jpg
2013-06-23 17.56.08.jpg (35.55 KiB) Exibido 3156 vezes
Aeromodelista é quem projeta e constói seu próprio avião, e entende os principios da física que o faz voar

Avatar do usuário
alexcmag
Equipe E-voo.com
Mensagens: 14817
Registrado em: 13 Fev 2004 12:13
Localização: Sao Paulo SP
Contato:

Mensagempor alexcmag » 26 Jun 2013 16:03

Está bem bonito, e pelo que dá para ver as superfícies estão com alinhamento correto, motor idem, áreas corretas, achei os ailerons um pouco pequenos mas como tem carga alar alta devem ser suficientes. Deve voar bem sim.

Avatar do usuário
LaercioLMB
membro
Mensagens: 13377
Registrado em: 16 Abr 2009 20:40
Localização: Porto Alegre - RS- 47

Mensagempor LaercioLMB » 26 Jun 2013 20:11

Um detalhe muito importante sobre o cálculo de carga alar.
A maioria dos aeromodelos, tem as asas encaixadas na fuselagem, sendo assim, essa parte não pode ser contada na envergadura na hora de calcular a carga alar, pois a parte das asas que está na fuselagem, não gera sustentação.
Um exemplo;
Vamos supor que o aeromodelo tenha 120 cm de envergadura, mas a largura da fuselagem onde as asas encaixam, tem 8 cm. Nesse caso, temos que tirar 8 cm da envergadura do aeromodelo para calcular a carga alar.
Se tem 120 cm de envergadura, menos 8 cm de fuselagem, termos então somente 112 cm de envergadura para calcular a carga alar.
Um exemplo de diferença de resultado.
120 cm de envergadura e 24 cm de corda.
120 X 24 = 2880 cm² : 1000 = 28,80 dm² (decímetros quadrados)
O aeromodelo pesa 850 g, então teremos 850 : 28,80 = 29,51 g/dm²
Agora, se retirarmos a parte da fuselagem, teremos então;
112 X 24 = 2688 cm² : 1000 = 26,88 dm²
850 : 26,88 = 31,62 g/dm²
Ainda uma ótima carga alar, mas em aeromodelos pequenos, cada grama extra na carga alar, faz muita diferença.
Se você criticar um sábio, ele te agradecerá. Se você criticar um ignorante, ele te insultará.

man1aco
membro
Mensagens: 592
Registrado em: 06 Out 2012 13:19
Localização: São José do Rio Preto - SP

Mensagempor man1aco » 27 Jun 2013 08:16

Agora o Laercio exagerou, em dizer que a asa na fuselagem não gera sustentação nenhuma.

Isso é valido para asa media como extra e edge que não tem nenhuma parte da asa compartilhada ao mesmo tempo com a fuselagem e o ambiente.

Toda a asa deve entrar na conta da carga alar em um asa baixa ou alta, e se for um asa alta essa parte da asa que fica acima da fuselagem esta gerando sustentação o tempo todo mesmo que pouca em comparação ao resto.

O asa baixa é um pouco diferente e só vai gerar sustentação na parte da asa que fica em baixo da fuselagem dependendo do angulo de ataque, em angulo zero não vai gerar nada , porem é incomun alguem construir um modelo asa baixa com zero de angulo de ataque.

Fonte da informação, professor do meu primo este que é cadete na AFA.

Coisa que eu não pude ser por diversos defeitos de fabricação e por isso reprovado no exame medico apesar de passar uma vez na prova escrita. ( desvio de septo, miopia e astigmatismo desde de novo )

Avatar do usuário
LaercioLMB
membro
Mensagens: 13377
Registrado em: 16 Abr 2009 20:40
Localização: Porto Alegre - RS- 47

Mensagempor LaercioLMB » 27 Jun 2013 08:38

[quote:87e46cdb17="man1aco"]Agora o Laercio exagerou, em dizer que a asa na fuselagem não gera sustentação nenhuma.

Isso é valido para asa media como extra e edge que não tem nenhuma parte da asa compartilhada ao mesmo tempo com a fuselagem e o ambiente.

Toda a asa deve entrar na conta da carga alar em um asa baixa ou alta, e se for um asa alta essa parte da asa que fica acima da fuselagem esta gerando sustentação o tempo todo mesmo que pouca em comparação ao resto.

O asa baixa é um pouco diferente e só vai gerar sustentação na parte da asa que fica em baixo da fuselagem dependendo do angulo de ataque, em angulo zero não vai gerar nada , porem é incomun alguem construir um modelo asa baixa com zero de angulo de ataque.

Fonte da informação, professor do meu primo este que é cadete na AFA.

Coisa que eu não pude ser por diversos defeitos de fabricação e por isso reprovado no exame medico apesar de passar uma vez na prova escrita. ( desvio de septo, miopia e astigmatismo desde de novo )[/quote:87e46cdb17]

Se esse professor provar isso com cálculos, acreditarei, caso contrário, é mais um dos que acreditam que a asa gera sustentação mesmo na fuselagem, ainda mais o intra dorso de uma asa.
Sinto muito, mas essa sua fonte de informação é muito precária.
No caso do Piper e similares, o dorso da asa na fuselagem até gera um pouco de sustentação, mas bem inferior do que o conjunto do perfil completo e por esse motivo é que se deve ignorar a parte da asa que fica na fuselagem para evitar algo indesejado no final da construção.
A parte de baixo de uma asa, só iria gerar sustentação negativa, ou seja, para baixo, o que não é o desejado, já que a parte de cima das asas tem uma fuselagem e não um perfil.
Por isso é que a sua fonte está muito precária em afirmar que o intra dorso de uma asa gera sustentação em voo normal.
Já deve ter notado que muitos aeromodelos ao voarem em dorso, ficam com a cauda pendurada. Já pensou no por que disso?
Simples, as asas geralmente tem uma incidência positiva no perfil para a sustentação alcançar o máximo de eficiência e o aeromodelo ao entrar em dorso, a incidência da asa passa a ser negativa e baixando a cauda, se recoloca a asa novamente com incidência 0 ou positiva, dependendo do tipo de perfil usado, pois nenhuma asa com incidência negativa, gera sustentação positiva (para cima).
Deve ter notado também que os perfis por mais simétricos que sejam, o intra dorso é sempre mais fino do que o dorso, medidos do eixo do perfil, pois quando um perfil for igualmente na mesma medida dos dois lados, tanto em cima quanto em baixo, esse perfil não irá gerar sustentação em incidência 0 nem aqui e nem na China, tendo então que ter uma incidência positiva para que comece a gerar alguma sustentação.
Pode até ter algum perfil igual nos dois lados, mas até agora, todos os perfis que olhei, nenhum tem o dorso igual ao intra dorso, sempre o dorso é mais espesso do que o intra dorso de um perfil.
Sendo assim, se esse professor me provar com cálculos essa sustentação gerada, passarei a acreditar na suposição dele, do contrário, infelizmente é mais um dos que se acham professores, coisa que infelizmente existe em nosso país.
Se você criticar um sábio, ele te agradecerá. Se você criticar um ignorante, ele te insultará.

cesaritap
membro
Mensagens: 23
Registrado em: 18 Fev 2013 11:36
Localização: Quedas do Iguaçu PR

Mensagempor cesaritap » 27 Jun 2013 08:40

Aproveitando o debate muito enriquecedor, gostaria de saber a opinião de vocês sobre o Airbrake, vale a pena instalar ou o resultado é insignificante como já postado aqui nesse forum? Peço isso pois ainda tenho dificuldade em pousar em espaços pequenos, ainda não estou dominando a técnica de pousar usandor motor e o profundor fazendo o aero perder velocidade pelo arrasto gerado pela inclinação da asa, faço o pouso sem motor só controlando o profundor preciso de bastante espaço para pousar.
Coloquei um servo para cada aileron, utilizei a função Flaperon no Turnigy 9x, mas não consegui configurar a função Airbrake, quando aciono a chave de tres posições apenas o servo do Flap responde, já tentei várias configurações sugeridas aqui neste forum mas não consegui, se puderem me ajudar eu agradeço.

man1aco
membro
Mensagens: 592
Registrado em: 06 Out 2012 13:19
Localização: São José do Rio Preto - SP

Mensagempor man1aco » 27 Jun 2013 11:36

Tudo o que é necessário para criar sustentação é deslocar um fluxo de ar. Uma asa aerodinâmica com perfil vai deslocar um fluxo. Mas tambem uma simples placa plana, se for inclinado para o fluxo.
A fuselagem de um avião também irá gerar sustentção se está estiver inclinada para o fluxo. Para essa questão, um corpo do automóvel também desloca o fluxo através do qual ele se move, gerando uma força de sustentação. Sustentação é um grande problema para carros de corrida da NASCAR e carros de corrida passaram a incluir spoilers sobre o teto para matar a sustentção em uma derrapagem descontrolada. Qualquer corpo físico em movimento através de um fluido podem criar sustentação se produz um deslocamento do fluxo (entenda-se na direção certa contra a gravidade).

Texto original:
"All that is necessary to create lift is to turn a flow of air. An aerodynamic, curved airfoil will turn a flow. But so will a simple flat plate, if it is inclined to the flow. The fuselage of an airplane will also generate lift if it is inclined to the flow. For that matter, an automobile body also turns the flow through which it moves, generating a lift force. Lift is a big problem for NASCAR racing machines and race cars now include spoilers on the roof to kill lift in a spin. Any physical body moving through a fluid can create lift if it produces a net turning of the flow."

Fonte: site da NASA

Avatar do usuário
alexcmag
Equipe E-voo.com
Mensagens: 14817
Registrado em: 13 Fev 2004 12:13
Localização: Sao Paulo SP
Contato:

Mensagempor alexcmag » 27 Jun 2013 11:42

Eu uso airbrakes (spoilerons) em vários modelos meus e gosto da ajuda que dão na aproximação, mas no seu caso não vale a pena não.

Como seus ailerons estão finos não vai dar um resultado significante. Se fossem mais largos você poderia usar tanto flaperon quanto airbrakes.

Avatar do usuário
LaercioLMB
membro
Mensagens: 13377
Registrado em: 16 Abr 2009 20:40
Localização: Porto Alegre - RS- 47

Mensagempor LaercioLMB » 27 Jun 2013 20:05

Preciso de cálculos mostrando os coeficientes, até lá, as asas na fuselagem não geram sustentação suficiente para ser considerada sustentação para os cálculos de carga alar de um aeromodelo.
Se querem contar com a envergadura total para os cálculos de carga alar, vão em frente, cada um faz o que quer, mas é preferível ter um cálculo mais correto e real do que um fictício.
É lógico que essa diferença dos resultados não impedirá do aeromodelo voar, só irá diferenciar a velocidade de estol dele, nada mais.
Quanto maior o peso, maior será a velocidade necessária para que as asas gerem a sustentação necessária para superar o peso do aeromodelo e se uma determinada asa necessita digamos de 30 km/h para voar bem, não será trocando motor e hélice que isso irá mudar.
Aliviar o peso muda a velocidade de estol? Sim, muda, mas o que não será mudado, será o arrasto e quanto mais o peso do aeromodelo ficar do arrasto gerado pela fuselagem, mais rápido ele perderá velocidade estando sem motor e com isso, um voo que poderia ser feito com apenas meio motor ou menos, necessitará de mais motor pois o arrasto é grande se comparado ao peso do aeromodelo.
Um exemplo disso, pegue uma bolinha de isopor de 5 cm de diâmetro e a jogue, verá que a velocidade cai rapidamente, pois o arrasto é muito elevado em comparação a massa (peso) da bolinha.
Agora coloque uma bolinha de gude ou algo mais pesado dentro dessa bolinha de isopor, o arrasto continuará o mesmo, pois o formato não mudou, mas a massa (peso) dela sim e isso fará com que a bolinha vá bem mais longe do que anteriormente.
É essa a diferença que faz um aeromodelo planar bem ou cair direto ao ficar sem motor.
Por isso é que aeromodelo muito leve, depende muito mais do motor para voar, o que acaba gerando maior consumo e lógico, menos tempo de voo.
Se você criticar um sábio, ele te agradecerá. Se você criticar um ignorante, ele te insultará.

cesaritap
membro
Mensagens: 23
Registrado em: 18 Fev 2013 11:36
Localização: Quedas do Iguaçu PR

Mensagempor cesaritap » 28 Jun 2013 11:49

Porque este tópico foi retirado do forum de construções???


Voltar para “Sistemas de Propulsão - Elétricos”

Quem está online

Usuários navegando neste fórum: Nenhum usuário registrado e 4 visitantes